Festa estranha

Encontrei a Ísis na festa. Perguntei se ela tinha visto a Joana. Não. Ela por sua vez me perguntou se eu tinha visto o Bruno. Também não.

Procuramos um pouco pela festa e chegamos à conclusão de que eles estavam em {…}. Decidimos ir até lá.

O Alessandro nos deu uma carona. Ele seguia a 140 km/h na contramão, desviando dos carros que, parecendo borrões, vinham em nossa direção. De vez enquanto soltava uma gargalhada: “Hahahaha, se bater faz BUM!”

Acordei sem saber se chegamos.

Deixe um comentário