Bagunçando a zorra toda

Então, como prometido, trouxe tudo o que importava pra cá. Ficou uma zona, mas parece até minha cabeça por dentro.

O primeiro foi o Difícil é ser eu, uma coleção de registros fotográficos de frases, máximas e poesias encontradas pela cidade. O nome curioso vem de uma pixação que eu admirava no viaduto da Linha Amarela, sobre a Edgar Werneck na Cidade de Deus. A frase completa era “falar de mim é fácil, difícil é ser eu.” Pra variar num daqueles lugares que o cara fez um esforço admirável pra pixar. Infelizmente nunca fotografei.

Trouxe quase tudo, tinha alguma coisa sem foto, o jeito que veio foi sem títulos, então assim ficou. Só organizei um pouco em sua categoria e coloquei as fotos para serem mostradas em tamanho maior.

Header que eu tinha feito de duas imagens para o Onirismo, provavelmente do unsplash

O outro é o Onirismo, um blog que comecei no tumblr escrevendo meus sonhos. Faz um tempinho que não posto nada, acho que de manhã não consigo desenrolar a história de maneira mais linear possível para ser registrada aqui.

Pensei em jogar o Onirismo pro books.tacensi.com. Books é um outro projeto, que por enquanto está em outro servidor, usando PressBooks. Por ora está fora do ar mas prometo resolver assim que der

Pressbooks é um projeto muito interessante, que usa WordPress como uma plataforma de publicação de livros digitais. É possível configurar cada detalhe, cada seção de um ou vários livros, e exportá-los em PDF ou EPub. Montei pra colocar as histórias de dormir que conto pra turminha, pensei em criar outro livro para o Onirismo, mas por fim resolvi trazer tudo pra cá mesmo.

E o que ficou pra trás, que vá pro túmulo com o tumblr.

digging your own grave GIF

Loucura é achar esta merda normal
Loucura é achar esta merda normal – Local desconhecido

Obediência é suicídio
Obediência é suicídio (entre outros) – ônibus, Rio de Janeiro

Ame a vida e os bons amigos, pois a vida é curta e os bons amigos são poucos – ônibus, Rio de Janeiro

Você é o colírio que faz eu enxergar melhor a vida.
Você é o colírio que me faz enxergar melhor a vida. – ônibus, Rio de Janeiro, RJ

Amor tece dores
Amor tece dores – poesia (não) intencional, local desconhecido. Via r/brasil.

O passatempo da sua viagem, Tatão
O passatempo da sua viagem, Tatão – ônibus, Rio de Janeiro

Odiar uma pessoa sem conhecê-la é ter inveja sem admitir. – local desconhecido, enviado por Ísis

Pedra, papel ou me beija?
Pedra, papel ou me beija? – ônibus, Rio de Janeiro

Você faz mais falta que o Felipe Melo
Você faz mais falta que o Felipe Melo – linha 565, Rio de Janeiro